Quando se aprende na Comunicação Não-Violenta que podemos pedir aos outros, ou para nós mesmos, por algo que atenda nossas necessidades, é muito fácil cair na cilada de fazer das nossas necessidades, o centro do universo.

“Ok, eu sei qual é minha necessidade aqui. E estou muito aflito porque ela NÃO ESTÁ SENDO ATENDIDA, e nem vai ser tão cedo! O que eu faço?”. Muitas vezes ter nossas necessidades atendidas depende de causas e condições que não estão ao nosso alcance em um determinado momento.

Todos nós temos várias vozes internas que tentam cuidar de nós, cada uma com sentimentos e necessidades diferentes. E que são o tempo todo impactadas pela impermanência. Ou seja, elas fluem, mudam, se transformam, contraem, expandem… Uma voz que expressava em voz alta sua necessidade de autonomia, por exemplo, num outro momento é silenciada por outra que deseja direção/orientação. 

Em uma mesma situação, podemos ter diferentes conjuntos de necessidades, que não se anulam. Por exemplo, quando uma pessoa tem uma voz interna que busca propósito/sentido no trabalho. E ao mesmo tempo, outra que cuida de sustento, segurança. E ainda, outra que quer conexão, amizade. Uma não anula a outra, todas elas existem.

Mas às vezes, uma voz interna não dá conta, e quer ter sua necessidade atendida a qualquer custo.

Imagine que dentro de você existe uma equipe de pessoas trabalhando numa única sala com mesas conectadas, como numa empresa, cada uma cuidando de algo importante para que tudo continue funcionando bem. E, de repente, o computador de uma das pessoas da equipe quebra, e ela não consegue mais fazer o que estava fazendo. E então, aos gritos, ela empurra o computador no chão, se levanta, e começa a empurrar todos os outros computadores de seus colegas também.

É o mesmo quando deixamos a necessidade de uma de nossas vozes ficar tão alta a ponto de não conseguirmos mais escutar as outras, a ponto de pensarmos que não há vida sem termos aquela única necessidade atendida.

 

Lembre-se que você é o líder das suas vozes internas.

Você pode oferecer empatia para suas vozes, e escolher quais serão expressadas no diálogo. Não se esqueça que o objetivo da CNV é gerar conexão humana. Você pode escolher quais necessidades te aproximam desse objetivo.

Às vezes escutamos mais alto a Voz Interna Crítica, que faz julgamentos e críticas. Ou a Voz Interna Zelosa, que tenta agradar a todos. O líder interno sustenta tudo com compaixão, oferece empatia e apreciação, fala e faz coisas que acalmam e tranquilizam. Ele é sábio, e reconhece quando ele mesmo precisa de ajuda, quando está sobrecarregado.

Somos uma coleção de partes internas e de necessidades. Desenvolver um líder interno fortalecido nos ajuda a não nos perder tanto em nossos desafios. Com ele, podemos aprofundar nossa relação com nós mesmos e ampliar espaço para compaixão, equilíbrio emocional e empoderamento.

Juliana Matsuoka
Share This